A Associação Escola Carlito Maia (AECM), entidade sem fins lucrativos que desenvolve ações educacionais, culturais e sociais em Cunha (SP), foi contemplada com um aporte financeiro de projeto social e de voluntariado da IBM que será revertido para o custeio de tratamento com equoterapia de pacientes de baixa renda do município. A escola foi indicada por Iara Silva, que é funcionária da empresa e voluntária.

Para essa tarefa, a AECM se associou ao Centro de Equoterapia EquoAmigo que coordenará os tratamentos e a seleção dos pacientes. Contatos e informações com a terapeuta Denise Sampaio – (12) 99725-2782 (horário comercial).

O trabalho do EquoAmigo

O Centro de Equoterapia EquoAmigo realiza na cidade de Cunha um projeto social que beneficia as crianças da APAE e de outras pessoas carentes da cidade com atendimentos de equoterapia.

“A terapia com o cavalo é indicada para pessoas com algum tipo de deficiência física ou intelectual, promovendo melhorias no equilíbrio e nos ajustes tônicos, além de melhoria na cognição, fala, deglutição, aspectos psicológicos e sociais. A interação com o cavalo traz ao praticante ganhos na socialização, autoconfiança e autoestima”, explica Denise Sampaio, terapeuta da EquoAmigos.

O projeto teve início em março de 2019, atendendo crianças da APAE, portadoras de síndrome de down, autismo, deficiência visual e intelectual.  Nesses meses de projeto, segundo Denise, “foram obtidos muitos resultados positivos com essas crianças, dentro das capacidades de cada uma, com ganhos físicos como psicológicos e a cada atendimento um sorriso no rosto e a alegria de estar montado num cavalo”.

O atendimento equoterápico gera custos, tais como a manutenção do espaço físico, os cuidados com o cavalo, o trabalho de terapeutas e guias. Nosso intuito é de na maior parte do tempo realizarmos atendimentos filantrópicos, porém, nossos recursos são limitados. Sendo assim, buscamos parceiros/padrinhos para nos ajudar a manter e ampliar esse importantíssimo projeto.

Esse é um projeto misto, no qual crianças da APAE são atendidas gratuitamente e outras pessoas carentes da cidade, que necessitam de sessões de equoterapia, também são atendidas gratuitamente por meio do projeto de apadrinhamento total, que é o caso da Escola Carlito Maia, ou com a contribuição de uma porcentagem do atendimento. Para tanto, os praticantes passam por uma triagem, com assistente social, para avaliar se têm condições de pagar ou não o tratamento ou parte dele, ou receber isenção total. E é aí que contamos com os “padrinhos”, para ajudar àquelas crianças que não tem condições financeiras de bancar o processo todo.

“É importante enfatizar, que a maioria dos atendimentos está sendo realizada de forma voluntária, sem custo algum aos praticantes. Porém, como mencionado, nossos recursos são limitados e, para aumentar o número de crianças contempladas, precisamos de padrinhos”, conclui Denise Sampaio.

A Escola Carlito Maia está concorrendo a um projeto da Fundação Banco do Brasil, para a realização de um curso personalizado para Cunha de formação de recepcionistas para meios de hospedagem. Esse curso será dirigido para a população, de 16 a 25 anos, de baixa renda.
Para isso, entre outras exigências, foi produzido um vídeo que deve ser visto pelo máximo de pessoas possível. Essas visualizações contam pontos para a escola.
Portanto, pedimos que vejam e divulguem muito esse link, por favor:
https://youtu.be/weB9-KQiKJw

marta-carlito

meio flyer

A Livre-se – 1ª Festa Literária e de Troca de Livros de Cunha, promovida pela Escola Carlito Maia, com o apoio do ICCC, Serracima, Coletivo de Mulheres Tecendo Ações e Secretaria de Turismo e Cultura de Cunha, foi realizada no dia 21 de dezembro de 2019, na Praça do Alto do Cruzeiro.

Acompanhe, pelas fotos, um pouco do que rolou nesse evento, que teve grande participação de público!

 

Domingo (8/dez), teve mutirão de pintura de faixas
para as barracas da 2ª Feira das Mulheres Tecendo Ações,
na Escola Carlito Maia.

SÁBADO 14/dez, Praça da Matriz, Cunha/SP

Traga livros para doar, trocar e emprestar.

Haverá diversas atividades, como contação de histórias, sessões de filmes (com histórias que giram em torno de livros), lançamento da Exposição “Bordados que Falam”
e inauguração da Casa do Livro, que ficará circulando pelas praças de Cunha, disponível para doação, troca e empréstimo de livros. E muito mais!

O local escolhido foi a Praça José Epifânio (Praça do Alto do Cruzeiro), em Cunha (perto da Santa Casa).

Essa é uma realização da Escola Carlito Maia, com o apoio do Instituto Cultural da Cerâmica de Cunha (ICCC), da SerrAcima, do grupo Mulheres Tecendo Ações e da Secretaria de Turismo e Cultura de Cunha.festa de livros

Desta vez, foram os alunos da outra turma da Escola Carlito Maia, do Curso de Cerâmica para a Terceira Idade, que visitaram a Comunidade da Várzea do Tanque, com o professor Zé Augusto, para vivenciar um dia de aprendizado e integração.

Veja algumas fotos!

Alunos do Curso de Cerâmica para a Terceira Idade, da Escola Carlito Maia fizeram visita à Comunidade da Várzea do Tanque, onde boa parte dos moradores se tornou ceramista, graças a um projeto desenvolvido pelo Instituto Cultural da Cerâmica de Cunha (ICCC).
O professor do curso da Carlito Maia, Zé Augusto, é dessa comunidade.
Veja algumas fotos do dia de visita e, claro, também da boa comida e quitutes da roça, que não poderia faltar:

 

Aconteceu, no dia 4 de novembro, a Oficina Gratuita de Fotografia “A Revelação da Máquina”, com Natália Tonda, nas dependências da Escola Carlito Maia, em Cunha.
Essa atividade é o resultado da parceria entre a Secretaria de Turismo e Cultura de Cunha, o Museu da Imagem e do Som e da Secretaria de Estado da Cultura e Economia Criativa.

rodapé

17 de outubro foi dia de fazer algo mais com o celular além de tuitar, feicebucar, zapear, instagranear…
Foi dia de animar o celular, criativamente, com a oficina “Seu celular é animado?”, realizada nas instalações da Escola Carlito Maia, com Eliana Célia Ribeiro.

Cerca de 12 inscritos tiveram a oportunidade rara e souberam aproveitar muito bem. Destaque-se que a maior parte nunca tinha feito animação em celular e encarou o desafio.

Depois de um dia de muito trabalho, chegou a hora de “lamber a cria”. À noite, às 19 h, no Espaço Cultural Elias José Abdalla (Cinema), foram apresentadas as animações produzidas durante o dia.

Essa oficina gratuita foi o resultado de parceria entre a Secretaria de Turismo e Cultura de Cunha, o Festival Curta no Celular e o Sesc – Serviço Social do Comércio.

Em Cunha, essa oficina também teve o apoio do Restaurante Melhor Hora e da Pousada Vila Rica.

(Fotos – Salvador Pacetti Neto e Joás Ferreira)

Escola Carlito Maia

  • Ao invés de uma pedra fundamental a escola realizou a cerimônia do plantio da ÁRVORE Fundamental. Compromisso com a sustentabilidade.Escola Carlito Maia 8 years ago
  • "É preciso toda uma aldeia para educar uma criança" ditado AfricanoEscola Carlito Maia 8 years ago
  • "Nós não precisamos de muita coisa, somente uns dos outros." Carlito Maia (1924-2002)Escola Carlito Maia 8 years ago